O racismo transcende o CrossFit, mas isso tem que mudar

0
235

Recentemente o nosso Head Coach Marcel fez uma live com um dos nossos alunos, Marlon Motta. Quem não viu, assista! Após post infeliz do ex- dono da marca CrossFit, Greg Glassman, muito tem se debatido sobre esse tema.

‘’As pessoas devem achar que se eu sofri racismo foi porque alguém chegou até mim e me ofendeu, mas isso nunca aconteceu no CrossFit. O importante é frisar que quando eu to num box com 30 alunos e só tem um negro, o racismo está se manifestando ali de alguma forma’’, afirmou o Motta.

E ele não deixa de ter razão, é uma forma passiva e está presente em todos os lugares, infelizmente.
‘’A gente tem que olhar para a sociedade com essa criticidade. Quando eu enxergo um espaço que só tem uma pessoa negra, no segundo país no mundo que mais tem pessoas negras, indica alguma coisa, né?’’, indagou ele.

O racismo está sempre presente de diversas formas, não só pela injuria racial. Até mesmo onde nem pensamos que ele está. O papel da City Wolves é salvar vidas e isso inclui essa causa, afinal de contas, isso não deixa de ser uma maneira de combater uma doença chamada racismo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui